Bichos como nós

Seis animais incrivelmente mortíferos que você nem imagina

 

Sempre que um leão mata um ser humano, ou um crocodilo come uma pessoa, o fato vira notícia nos jornais e viraliza na internet. Entretanto, há outros animais que não têm o tamanho do rei da selva, nem a ferocidade do pré-histórico réptil, mas que silenciosamente matam muito mais vidas do que estes reis da natureza.

A partir de uma compilação da BBC, apresentamos alguns deles:

 

1. Tênia ou solitária

Tênias têm sido estudadas desde os tempos de Aristóteles (Thinkstock)

As tênias têm sido estudadas desde os tempos de Aristóteles (Thinkstock)

A tênia é uma infecção intestinal que ataca os seres humanos, produzida por ingestão de carne de porco, carne mal cozida ou água contaminada, contendo ovos e larvas. Também é transmitida através das fezes.

As infecções causadas pela tênia presente nos porcos são as mais perigosas, podendo causar dores de cabeça, cegueira e até a morte.

A Ásia, a África subsaariana e a América Latina são os continentes mais afetados, onde a tênia tira a vida de cerca de 1.200 pessoas por ano, aproximadamente.

Quando os ovos e as larvas se desenvolvem no sistema nervoso central, a vítima pode adquirir um tipo de epilepsia.

 

2. Vermes intestinais

Casos graves de ascaridíase podem causar obstrução intestinal ou afetar o crescimento das crianças (Thinkstock)

Casos graves de ascaridíase podem causar obstrução intestinal ou afetar o crescimento das crianças (Thinkstock)

O verme intestinal é um tipo de verme que vive nos intestinos e é transmitido através de fezes infectadas. Ascaridíase é uma das doenças causadas por esse verme, e atinge cerca de um bilhão de pessoas.

O contágio ocorre quando alguém, com as mãos contaminadas, as leva à boca, ou quando alguém come frutas ou legumes que não foram devidamente lavados ou cozidos.

 

Esse verme, que chega a medir entre 15 e 35 centímetros, afeta uma parcela da população feminina na Bolívia, levando-as a ter mais filhos.

As pessoas afetadas por esta doença, quando têm infecções graves, são geralmente assintomáticas, mas podem apresentar obstrução intestinal. Ela também pode prejudicar o crescimento das crianças.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), apesar da ascaridíase ser tratável, cerca de 60 mil pessoas morrem a cada ano, sendo a maioria crianças.

 

3. Caracol de água doce

As pessoas podem entrar em contato com estes caracóis nadando em rios ou lagos (Thinkstock)

As pessoas podem entrar em contato com estes caracóis nadando em rios ou lagos (Thinkstock)

Caracóis contêm dentro deles alguns vermes parasitas que, ao entrar em contato com os seres humanos, produzem esquistossomose. Esta é a segunda doença parasitária mais devastadora em países tropicais depois da malária.

A OMS afirma que cerca de 20 mil pessoas morrem a cada ano devido à esquistossomose, sendo a África o continente mais afetado. No entanto, a Agência de Cooperação Internacional dos Estados Unidos (USAID) acredita que o número de mortos seja de mais de 200 mil pessoas.

 

4. Barbeiro

A doença de Chagas é endêmica na América (Thinkstock)

A doença de Chagas é endêmica na América (Thinkstock)

O Triatoma infestans – comumente chamado de barbeiro – é um inseto sugador de sangue que é encontrado apenas na América Latina, e é o propagador da doença de Chagas. Quando este inseto pica alguém para se alimentar de sangue, defeca ao mesmo tempo, depositando parasitas na pele humana.

A pessoa afetada sente coceira, o que a leva a arranhar-se e, portanto, introduzir o parasita nos tecidos da pele.

Entre 6 e 7 milhões de pessoas podem estar afetadas pelo Trypanosoma cruzi (parasita causador da doença de Chagas), segundo a OMS, sendo a maioria encontrada na América Latina.

 

5. Mosca tsé-tsé

A mosca tsé-tsé vive nas zonas rurais da África (Thinkstock)

A mosca tsé-tsé vive nas zonas rurais da África (Thinkstock)

A mosca tsé-tsé é portadora da tripanossomíase africana, ou doença do sono.

Esta doença é fatal se não tratada, e se propaga nas áreas rurais da África, sendo as pessoas pobres seu principal alvo.

Demorou quase um século para que se conseguisse controlar esta doença. Em meados da década de 60 ela havia sido quase erradicada, mas a partir dos anos 70 até os 90, voltou como uma forte epidemia.

Para a OMS, cerca de 65 milhões de pessoas ainda estão em risco, e cerca de 20 mil ainda têm a doença.

Quando a doença está em estágio avançado, o parasita entra no fluxo sanguíneo cerebral, infectando o sistema nervoso central, causando confusão, falta de coordenação e perturbação do ciclo do sono.

 

6. Cães

A mordida e o posterior contato com a saliva de um cão doente podem causar raiva se o indivíduo não for vacinado (Thinkstock)

A mordida e o posterior contato com a saliva de um cão doente podem causar raiva se o indivíduo não for vacinado (Thinkstock)

A OMS afirma que milhares de pessoas morrem a cada ano devido à raiva, principal doença transmitida pela mordida de cães.

A OMS também assinala que mais de 15 milhões de pessoas são vacinadas todos os anos devido a mordidas de cães, prevenindo assim a morte de centenas de milhares de pessoas a cada ano por causa da raiva.

Esta doença viral e infecciosa afeta tanto animais domésticos quanto selvagens, e é transmitida pelo contato com a saliva do animal. É fatal se não tratada a tempo. Mais de 95% das mortes humanas por raiva ocorrem na Ásia e África.

fonte: epochtimes.com.br

Classifique este item
(0 votos)
Login para post comentários

Siga-nos na Rede

 fb icon 325x325   Facebook           tweter   Twitter

Espaço Lusófono © 2013 . Todos os direitos reservados

Login ou Registe-se

LOGIN

Registe-se

User Registration